Posts

Privatização do setor eletrico vai colocar o RS no escuro

⚡ Para favorecer setores das elites mesquinhas e egoístas, o governo estadual e da mídia tradicional estão atuando fortemente a favor das privatizações do setor elétrico do Rio Grande do Sul.

🆘 O objetivo deles é conseguir vender o mais breve possível a CEEE e a Eletrobras CTG Eletrosul, responsáveis pela geração, transmissão e distribuição de luz para todas as regiões do estado.

⚠ Mas vincular uma necessidade básica da população à iniciativa privada vai impactar todos os gaúchos, trazendo prejuízos como:

💥Aumento das tarifas de energia;

💥Enfraquecimento da economia do Rio Grande do Sul e do Brasil;

💥Demissões em massa

💥E sucateamento das operações, diminuindo a qualidade dos serviços oferecidos.

💪 Juntos, precisamos lutar pelo nosso patrimônio.

🤯 É inaceitável que a gestão do setor de energia do estado fique sob o comando de quem quer apenas lucrar com um serviço que é essencial na efetivação da cidadania.

✊ Não podemos deixar que eles vendam o que é dos gaúchos.

Deu errado: Privatização deixa amazonenses sem acesso à saneamento básico

PrivatizaçãonãodeucertoAmazonas_Sintec

💣 O governador Eduardo Leite já deixou claro que pretende privatizar diversos setores estratégicos para o Rio Grande do Sul para agradar a setores ligados às elites.


🤯 Para ele, o lucro da iniciativa privada é tratado como prioridade, e considerado mais importante do que o acesso de todas as pessoas a serviços básicos.


⚠ Mas exemplos como o ocorrido no Amazonas (AM), alertam os gaúchos sobre os impactos que privatizações que deram errado trazem à população.


🚽 Atualmente, no AM, a Aegea, empresa responsável pelo saneamento básico de Manaus, lucra milhões de reais, enquanto somente 12,5% do esgoto é da cidade é tratado.


💩 Grande parte dos dejetos está sendo jogado direto na natureza, poluindo rios (como o importante Rio Negro) e córregos, e trazendo ameaças à saúde da população.


👉 Se as privatizações avançarem no RS, sofreremos situações semelhantes nos setores de água, luz e transportes, afinal, as nossas principais estatais – Corsan, CEEE, Trensurb e Eletrobras CGT Eletrosul – estão sob negociação, e podem ter suas vendas efetivadas qualquer momento.

👊 Precisamos reagir e defender o bem-estar de todos, não deixando que vendam o que é dos gaúchos.

Saiba quem ganha e quem perde com as privatizações

Quando se fala em privatização, é importante saber que, por trás de discursos, existe um grande jogo de interesses entre os envolvidos.

As consequências das privatizações podem ser boas para alguns (bem poucos) e ruins para outros (quase toda a população).

Neste texto, vamos entender quem sai ganhando e quem sai perdendo.

Grandes empresários: ganham

Os setores onde as estatais atuam tendem a ser bastante complexos, exigem planejamento de longo prazo, capacidade de investimento e uma estrutura robusta.

Essas características estão longe de ser a realidade de boa parte do setor privado, que deseja retorno mais imediato (lucro) e, dificilmente, vai investir em atividades do tipo a partir do zero.

Com isso, privatizar estatais passa a ser uma chance “de ouro” para empresários atuarem em áreas onde é difícil se estabelecer. Afinal, o esforço já foi feito quando a empresa era estatal. Há um nome consolidado no mercado, a empresa já possui boa estrutura física e pessoal altamente qualificado, e, na maioria das vezes, não haverá muitos concorrentes pelo mercado consumidor.

Para os empresários, o negócio é ótimo. E para eles fica melhor ainda quando encontram governos que não possuem compromisso com o bem-estar da população e vendem o patrimônio público a preço de banana (que é o que acontece com frequência no Brasil).

Políticos corruptos: ganham

Em vez de trabalhar pelo fortalecimento das empresas públicas, é comum vermos políticos fazendo lobby pela privatização.

Esses políticos sabem que, assim que as privatizações acontecerem, poderão cobrar suas “recompensas” dos empresários, por terem ajudado a abrir caminho para a venda.

Aliás, é bem provável que esses políticos tenham suas campanhas já financiadas (especialmente em Caixa 2, com recursos não contabilizado) pelos empresários ou grupos econômicos que irão comprar as estatais.

Velha mídia: ganha

Falando em conflito de interesses, o discurso a favor das privatizações só ganha destaque graças a setores da velha mídia: portais de notícias, jornais, canais de televisão e de rádio, controlados pelos mesmos poucos grupos, que dependem de anúncios de grandes empresas privadas que desejam se apropriar do patrimônio da população para lucrar sobre as necessidades das pessoas.

Esses setores dão amplo destaque a aspectos negativos de estatais e distorcem dados sobre a situação financeira das empresas. Raramente apontam aspectos positivos.

A intenção é manter uma campanha permanente de desgaste da imagem das estatais para que as privatizações sejam aceitas pela população como a “única solução” para o estado ou para o país.

Assim, favorecem os grandes grupos de anunciantes, que poderão comprar as estatais a preços mais baixos (afinal, ao atingir a imagem das empresas públicas, a expectativa deles é que elas sejam desvalorizadas no mercado).

Bom para os empresários e bom para a velha mídia, que segue com patrocínio em dia. Além disso, muitos proprietários de grupos de mídia têm interesse em se tornar, eles próprios, donos ou acionistas de empresas que hoje são estatais.

É profundamente antiético, porque estão advogando em causa própria. Mas é algo muito comum.

População: perde

Estatais, quando privatizadas, geram um forte impacto na sociedade, especialmente nas camadas mais pobres da população. Empresas privadas têm como único compromisso o lucro e não irão pensar duas vezes antes de subir tarifas na hora de cobrar pelos serviços.

Além disso, as empresas privadas dificilmente atuam em áreas pouco lucrativas.

Isso fará com que as populações mais pobres ou em regiões mais isoladas fiquem desassistidas.

Não há dúvidas de que a privatização é especialmente cruel com quem tem menos.

Desenvolvimento nacional: perde

Sem as estatais, o Estado fica sem um importante mecanismo para alavancar cadeias produtivas do país. As estatais podem levar desenvolvimento e geração de empregos a regiões que jamais seriam prestigiadas pelo capital privado.

Afinal, novamente, empresas privadas querem lucro (de preferência, imediato), o que é incompatível com o desenvolvimento de outros setores ou investimento em regiões onde a rentabilidade será menor. A privatização é um golpe contra o desenvolvimento econômico nacional.

Bem-estar da sociedade: perde

Embora não seja prioridade, as estatais brasileiras são muito lucrativas.

E grande parte desse lucro é repassado diretamente ao Estado, que pode investir em outras áreas, garantindo o bem-estar da sociedade.

Não só isso: as próprias estatais usam parte de sua lucratividade para financiar, por exemplo, projetos com aspecto social, em áreas como educação, cultura, esportes e proteção ao meio-ambiente. No Brasil, são incontáveis os programas de financiamento para a produção de filmes, peças de teatro, festivais ou programas de incentivo ao esporte que contam com aporte de estatais.

Entender as consequências das privatizações para a sociedade é fundamental na hora de interpretar os discursos de cada um.

Quando se trata de venda do patrimônio público, nas quais apenas alguns poucos privilegiados são beneficiados, o que manda é o jogo de interesses e seu ganho financeiro.

Uma realidade muito distante do compromisso com a sociedade e com o desenvolvimento do país, que é a prioridade das empresas estatais.

Fonte: Sintec-RS

Países inteligentes não abrem mão do controle energético

PaísesInteligentesnãoAbremMãoControleEnergético

🌎 No mundo todo, o setor de energia elétrica está relacionado à soberania e segurança nacional das nações.

😉 Por isso, em países desenvolvidos (como os Estados Unidos, por exemplo) ele é controlado por meio de estatais.

🇧🇷 No Brasil, a Eletrobras foi criada estatal justamente para planejar, operar e coordenar um setor tão estratégico!

💪 Com mais de 58 mil quilômetros de linhas de transmissão, ela responde por 37% da geração de energia em nosso território, e atua de forma interligada para que milhões de brasileiros recebam um serviço contínuo e de qualidade, de norte a sul do país.

✔ Tudo é feito por profissionais altamente capacitados, sob controles de qualidade rigorosos, em um sistema gigantesco, complexo e integrado, que garante reconhecimento mundial ao nosso setor.

🚨 Privatizar tamanha estrutura causará danos irreversíveis ao Brasil.
🛡 Ajude-nos a defender a Eletrobras. Não aceite que vendam o que é dos gaúchos e dos brasileiros.

Mais que o saneamento do Estado, a Corsan cuida do nosso povo

ACorsanÉNossa

🙂 A Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) é estatal, e foi criada para garantir qualidade de vida para o povo gaúcho.


Ela tem caixa próprio forte e sustentável, que lhe permite⤵
➡ Arcar com suas despesas sem depender do Estado

➡ Financiar políticas públicas fundamentais à população (como Educação, Saúde, Segurança Pública etc.)

➡ Repassar milhões de reais aos cofres públicos do Rio Grande do Sul, todos os anos

➡ Realizar investimentos contínuos e manter programas sociais, sem perder a saúde financeira

🤩 Ou seja, por ser estatal, a Corsan faz muito mais que o saneamento do nosso estado: ela cuida do nosso povo!

Porém, se for privatizada, ela será mais uma empresa para trazer prejuízos à população.

✊ Compartilhe esse post e nos ajude a impedir que o governador Eduardo Leite venda o que é dos gaúchos.

2 em cada 3 brasileiros são contra a venda de estatais

🙅‍♀️ O povo não quer que as estatais sejam privatizadas.


Segundo o Datafolha⤵

➡ 2⃣ em cada 3⃣ brasileiros são contra a privatização (67% da população)

➡ 65% rejeitam a venda de bancos públicos (Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil)

➡ 65% se opõem à venda da Petrobras – até mesmo os empresários, os mais ricos, os apoiadores do atual governo e a maioria de seus eleitores

➡ 60% são contrários à venda dos Correios 

⚠ Privatizações geram muito mais prejuízos que lucros ao país: as estatais são vendidas por valores muito menores do que realmente valem, e o que é gerado depois vai direto para os bolsos dos novos donos.

Essa opinião dos brasileiros confirma o que já acontece nos países mais desenvolvidos, que estão reestatizando ou criando mais de 1400 empresas e serviços para reverter privatizações do passado.

😡 A população não ganha nada com as privatizações.

Por isso, defenda as estatais: não deixe que vendam o que é dos gaúchos, nem dos brasileiros! ✊