Posts

CABIDE DE EMPREGOS

Funcionários de estatais são aprovados em concursos difíceis e muito concorrido. Portanto, empresas públicas não são “cabide de empregos”. Então cuidado! Os maiores interessados em mentir sobre a realidade são os que irão lucrar com as privatizações.

Para entregar o patrimônio dos brasileiros para setores oportunistas do mercado, governantes ligados às camadas mais ricas da sociedade mentem dizendo que empresas estatais servem como cabide de emprego.

Para enganar a população, eles escondem que para construir carreira em empresas públicas é preciso ser aprovado em concursos difíceis e muito concorridos.

E que esses funcionários são altamente qualificados, e vão se aperfeiçoando ainda mais ao longo do tempo.

Apesar disso, não possuem estabilidade no emprego e são regidos pelas mesmas leis que os demais trabalhadores da iniciativa privada.

Os maiores interessados em mentir sobre as estatais são os que irão lucrar com sua privatização.

Os trabalhadores não são “privilegiados”: além de serem extremamente qualificados, são regidos pela CLT, como na iniciativa privada.

Com as privatizações, eles serão substituídos por funcionários menos qualificados ou terceirizados, e isso vai refletir em serviços piores para a população.

Por isso, não caia em fake news. Defenda o que é público, para que eles não vendam o que é dos gaúchos.

Fonte: SINTEC-RS

Países desenvolvidos reestatizaram 1400 serviços. Bolsonaro e Eduardo leite vão na contramão.

Enquanto países ricos e desenvolvidos reestatizam mais de 1400 serviços privatizados que ficaram caros e ruins, os governos Bolsonaro e Eduardo Leite vão na contramão e querem entregar o patrimônio do povo para que as camadas privilegiadas fiquem ainda mais ricas.

Fonte: SINTEC-RS

Eduardo Leite passou a boiada para vender a CEEE

😠 Em vez de cuidar do nosso Rio Grande do Sul, o governador Eduardo Leite “passa a boiada” no Palácio Piratini.

Para vender nossas estatais, ele conseguiu apoio na Assembleia Legislativa para retirar o dispositivo constitucional que estabelecia uma consulta ao povo gaúcho (por plebiscito), pois sabe que somos contrários à privatização.

Juntos, eles tiraram do povo o poder de decidir sobre o próprio futuro.

🤯 Dessa forma, ele vendeu a Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D), e quer privatizar outras estatais – descumprindo sua promessa de campanha.  

E mais: Eduardo Leite tem escondido informações sobre a venda da CEEE e sobre seus atos no governo, deixando o povo “no escuro”.

Sem transparência na prestação de contas, o governador passa por cima dos nossos interesses para alçar voos mais altos na política.

✋ Precisamos dar um basta no método “passa a boiada” de Eduardo Leite. Ele não pode vender o que é dos gaúchos!

Para o Governo gaúcho energia elétrica não é estratégica

⚡ No mundo todo, energia é questão estratégica.
🇺🇸 Nos Estados Unidos, por exemplo, o governo investiu mais de US$ 8 bilhões no setor, depois que o estado do Texas ficou sem água e sem energia por conta de uma mudança climática ocorrida em abril.

Enquanto lá o governo aprimora o setor, aqui no Brasil os governos se desfazem dele.
💔 No Rio Grande do Sul, o governador Eduardo Leite vendeu a Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica (CEEE-D), e a CGT Eletrosul (subsidiária da Eletrobras) também está na mira das privatizações.

Se isso acontecer, estaremos ainda mais perto dos apagões que ocorreram no Amapá (em 2020), provocados por negligência da iniciativa privada.

✊ Somente defendendo as estatais do nosso estado podemos evitar essa realidade.
Por isso, não deixe que vendam o que é dos gaúchos!

Se Trensurb for vendida, preço da passagem irá dobrar

📣 Os trens de Porto Alegre são operados pelo Governo Federal por meio da Trensurb. Se ela for vendida, pagaremos quase o dobro nas tarifas: de R$ 4,20 (valor atual) para até R$ 8.
Isso porque a empresa deixará de ser pública, e perderá o subsídio (apoio financeiro do governo) de cerca de 50%.

😓 Em torno de 200 mil pessoas serão atingidas, todos os dias, na capital e em mais 5⃣ cidades gaúchas por onde passa o metrô.

Privatizar a Trensurb não interessa ao povo gaúcho, pois não abrirá o mercado, nem aumentará a concorrência. Deixará as tarifas mais caras.

🤑 Seu novo dono controlará uma região exclusiva, sem competição, formando um monopólio privado. Seu compromisso será com o próprio bolso.

Ela sempre foi estatal porque seu dever é garantir mobilidade urbana com o menor custo possível.

✊ E é assim que deve continuar. Por isso, defenda a Trensurb: não deixe que vendam o que é dos gaúchos.